Alterações físicas e químicas na saúde bucal, em pacientes que tem dependência química.

Alterações físicas e químicas na saúde bucal, em pacientes que tem dependência química.

Olá tudo bem com você? Comigo tudo joia, hoje resolvi abordar sobre alterações físicasquímicas na saúde bucal, em pacientes que tem dependência química seja drogas licitas ou ilícitas ou medicamentos de uso continuo para tratamento psicológicos e/ou psiquiatras.

      Por que é tão importante não esconder do dentista sua dependência química? Como você bem sabe, dentista administra medicamentos, anestesia, e essa informação vai direciona-lo a um planejamento assertivo e cuidadoso, pois há muita interação medicamentosa no manejo do paciente dependente químico.

                  SINAIS FÍSICOS SUGESTIVOS DO USO DE ÁLCOOL E DROGAS

Tremor,

 Hepatomegalia,

 Irritação nasal (cocaína),

 Hiperemia conjuntival (maconha)

Taquicardia/arritmia,

Odor álcool/maconha.

     O uso abusivo e a dependência química de drogas como o álcool, cocaína, crack, maconha entre outras, além de trazer alterações emocionais, traz uma série de alterações físicasquímicas na saúde bucal, dentre elas:

Xerostomia (boca seca), muitos usuários de múltiplas drogas, aumentando ainda mais a sensação de boca seca (xerostomia), e facilitando o desenvolvimento de infecções.

CPOD elevado (índice de dentes cariados, perdidos e obturados),

Redução da capacidade tampão da saliva (meio sempre ácido com o uso das substâncias),

 Queilite angular (ocasionada por perda de dimensão vertical, falta de dentes),

Bruxismo (ranger de dentes),

 Perdas dentárias,

Doença periodontal,

Halitose e

 Estomatites

Tabaco e álcool potencializa o desenvolvimento do câncer de cavidade bucal.

Os efeitos prejudiciais da maconha para a saúde, em que a única diferença com o tabaco seria o princípio ativo. Na maconha, o princípio ativo é o THC (Tetra-hidro-canabinol), o qual prejudica a produção de células de defesa, deixando o usuário com potencial de infecção por imunossupressão. Estando imunodeprimido, relatam-se muitas infecções por fungos, como a Candidíase.

         O fumo por crack causa um calor intenso, além da ação cáustica da droga, possibilitando necrose dos tecidos periodontais, mucosa e dentes as altas temperaturas que os cachimbos utilizados para fumar crack atingem, alterando e promovendo alterações celulares na região do lábio inferior. Além disto, promovem desgastes oclusais por abrasão
na região dentária anteroinferior, além de episódios de dor aguda na gengiva – atribuída à fricção do pó de cocaína.

     Anestésicos com vasoconstrictores adrenérgicos podem ter efeito potencializado na anestesia de pacientes que fazem uso crônico de antidepressivos em caso de injeção IV(intra venosa) acidental ou uso de grande número de tubetes.

     Na necessidade de prescrição de analgésicos, antibióticos e anti-inflamatórios, atentarem etilistas crônicos, há um aumento da conversão do paracetamol em um metabólito altamente tóxico ao fígado. Não associar paracetamol a medicamentos hepatológicos, como eritromicina e clavulanato de potássio. Atentar para o possível efeito hepatológico da Nimesulida. Paracetamol + Varfarina: Possível aumento do efeito anticoagulante. Dipirona: Pode potencializar a ação do álcool etílico (não administrar simultaneamente), pode reduzir a ação da ciclosporina e potencializar as reações adversas da clorpromazina (antipsicótico), especialmente a hipotermia.

     No caso do paciente que sofre de doença maníaco depressiva, e faz uso do lítio, está CONTRA-INDICADO o uso de metronidazol e da tetraciclina.

Gostou dessas dicas? Pois compartilhe, seja um multiplicador de informações positivas e confiáveis…

Um grande abraço, até breve

Dra. Lineia Torres

CRO1379 odontoarch

086 3227 1661

86 99977 6892

http://www.odontoarch.com.br

@odontoarchdra.Lineia

Deixe um comentário

ESTAMOS NO YOUTUBE