Vamos falar de lupus e odontologia

Olá , aqui é a Dra. Lineia Torres, tudo bem com você? Comigo tudo em paz…

 Hoje venho falar sobre lúpus e a odontologia…

                           Existem três tipos de Lúpus: o lúpus discóide, o lúpus sistêmico e o lúpus induzido por drogas. O lúpus discóide é sempre limitado à pele. É identificado por inflamações cutâneas que aparecem na face, nuca e couro cabeludo. O lúpus induzido por drogas ocorre como consequência do uso de certos medicamentos principalmente a procainamida (antiarrítmico) e a hidralazina (Vasodilatador).

                                Apresenta ocorrência universal, embora seja três vezes mais frequente em negros e mais prevalente em mulheres entre a segunda e a quarta década de vida. O tabagismo pode exercer papel importante na patogênese da doença, uma vez que os componentes do cigarro podem influenciar a autoimunidade.

Sinais e sintomas:

                   O paciente com a doença pode apresentar eritema malar (na região abaixo dos olhos), lesão discóide (forma de disco), fotossensibilidade( sensibilidade a luz), úlceras orais e nasais, artrite( inflamação nas articulações), serosite( inflamação das membranas serosas), comprometendo sistema cardiovascular, pulmonar, alterações renais, alterações neuropsiquiátricas, alterações hematológicas e alterações imunológicas.

                          A pele, o rim e as articulações são os principais órgãos-alvo do LES. A pele, entretanto, se destaca por ser o sítio principal de suas manifestações, nela se iniciando a doença em 80% das vezes.

                        As manifestações buco dentais apresentadas no LES são: gengivite descamativa, gengivite marginal e lesões erosivas mucosas. Estes pacientes apresentam distúrbios da articulação temporomandibular (artralgia, artrite), síndrome de Sjögren (xerostomia, e hipo-hidrose generalizada), higiene bucal precária por causa de lesões bucais dolorosas, estes fatores levam ao aparecimento de cáries dentárias e doença periodontal.

Tratamento:

O tratamento odontológico do paciente com LES deve ser personalizado e dependerá da gravidade da doença e dos órgãos ou sistemas afetados. No caso de envolvimento multissistêmico, o tratamento deverá ser orientado pelos protocolos de abordagem odontológica para cada tipo de sistema afetado, por exemplo: atendimento odontológico do paciente cardiopata, nefropata, anêmico, anticoagulados, dentre outros.

                          Gostou dessas dicas? Pois compartilhe com os amigos e seja um multiplicador de informações positivas e confiáveis.

Um grande abraço até a próxima postagem

Dra. Lineia Torres

CRO 1379 odontoarch

863227 1661

86 999 77 6892

http://www.odontoarch.com.br

@odontoarchdra.Lineia

Se você quiser receber mais dicas e orientações do meu novo projeto, que é 100 % grátis, basta enviar para meu whatssap

http://bit.ly/consultoriodralineia

1-seu nome

2-seu email

È muito legal, você fará parte da nossa lista vip, poderemos trocar muitas informações…

Aguardo você

Deixe um comentário

ESTAMOS NO YOUTUBE